Modos da escala maior parte 2


Ok, lembram do churrasco de doido?

João, domingo fritaremos linguiças, minhocas, eo lombo.

Uma boa parte de vocês já matou isso aqui… Essa é a ordem dos modos da escala maior começando pelo primeiro modo, o Jônico.

Seguindo nossa frase, fica:

nico, rico frígio dio, mixolídio, lio crio.

^^

Nada ortodoxo, mas eficiente, e é isso que me importa.

Um detalhe, senhoras e senhores: Os nomes dórico e frígio estão trocados. Imagino que os espartanos ficariam putos da vida se soubessem que suas agressivas e escuras sexta menor e segunda menor foram trocadas pelas alegres e claras sexta maior e segunda maior. Algo como nosso legado musical passar para a história como sendo o tango, e não o samba.

O compositor e teórico francês Jean-Philippe Rameau com sua flauta... (no dos outros é refresco...)

Tá bom que quando foi compilado o primeiro grande livro de teoria musical no ocidente, por volta de 1720, intitulado “Tratado de Harmonia”, por Jean-Philippe Rameau, não havia o grande oráculo googólico para auxiliar na pesquisa, mas, porém, todavia, contudo, de lá pra cá nada foi feito para retificar esse engano. E alguém sabe o porquê? Errr… não. “Vai confundir a cabeça dos aprendizes…” e bobagens assim, foram as respostas mais comuns que eu consegui quando tentei questionar esse deslize. Então, até segunda ordem (ou desordem), continuemos dizendo que a música dos dóricos era “felizinha”. Bom que não há espartanos por aí pra nos corrigir…

OK, voltemos para os modos…

Dentro do “campo harmônico” de C maior, o que significa em português que usaremos apenas as notas naturais, teremos as seguintes escalas:

C Jônico

D Dórico

E Frígio

F Lídio

G Mixolídio

A Eólio

B Lócrio.

Aqui começa uma série de nós na cabeça dos músicos. A pergunta mais comum que eu ouço é :”Mas não é tudo a mesma coisa? Só porque estou tocando começando de outra nota não muda nada, são as mesmas sete notas de C maior, então é C maior!!!”

hmmmm…

Sinceramente, é um bom argumento, porém, incompleto e um tanto míope. Não é simplesmente uma questão de começar em outra nota, e sim de reposicionar o centro gravitacional da escala. Pense em virar o quarto onde você se encontra noventa graus para qualquer lado e fazer de uma das paredes o chão e você vai começar a ter uma idéia da mudança que ocorre de um modo para outro.

Gosto muito desse exemplo aqui: Veja essas seis fotos, todas são impressões em duas dimensões do mesmo objeto, cada uma delas é diferente, porém todas elas são o mesmo objeto, apenas muda a nossa maneira de enxergá-lo.

É basicamente isso que acontece com a escala maior quando usamos um de seus modos. Entenda o seguinte, tocar as notas C, D, E, F, G, A, B, C só faz delas o modo Jônico se outros eventos estiverem acontecendo enquanto essas notas estão sendo tocadas! E mais, o modo Jônico é uma coisa, a escala maior é outra completamente diferente!

E você achou que estava lendo isso pra clarear sua cabeça, né?

Um passo de cada vez, padawan.

Toque um “baixo contínuo” em E, traduzindo, mantenha seu Mizão soando, e experimente tocar diferentes modos em E, sinceramente, não tente todos de uma vez, seu cérebro não vai ter como apreciar todos eles, é muita coisa. Brinque com dois de cada vez, de hoje para amanhã, brinque com o Jônico e o Dórico, por exemplo.

E Jônico = E, F#, G#, A, B, C#, D#, E

E Dórico = E, F#, G, A, B, C#, D, E

(notas no braço, pra que as quero… ^^)

Até amanhã, e lembre-se, tenha modos!!!

Não masque chiclete de boca aberta!!!

Abraço!!!

Edu

About Edu Élleres

Guitar teacher turned neuroscientist turned guitarist, passionate and obsessed with finding better ways of teaching music.
This entry was posted in Red Pill Institute, Teoria Musical and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

6 Responses to Modos da escala maior parte 2

  1. Grande Edu !!

    Parabéns pela ótima iniciativa e pelos textos de altíssima qualidade!

    Vida longa à RPI!

    []’s

    • Edu Élleres says:

      Irmão, muito obrigado pelas carinhosas palavras, e é um imenso prazer vê-lo por aqui, Gustavo!!!
      Seja muitíssimo bem vindo e volte sempre, meu querido!!
      Abração!!!

      Edu

  2. João (Jota) Ribeiro says:

    Edu, obrigado pela explicação. Fazia tempo que não lia um texto assim sobre o assunto. Sua forma de ensinar é realmente diferente dos demais. Me orgulho de fazer parte do seu novo projeto!!!
    Abraço!

    • Edu Élleres says:

      Obrigado, meu amigo! É um prazer ter você participando, Jota!!!
      Saudades, irmão, qualquer hora dessas eu vou à GYN ver meus amigos!!
      Abraço, irmão!!

      Edu

  3. André Simas says:

    Fala Edu!!!

    Cara, estou muito impressionado e muito curioso com seu novo método…
    Como posso fazer parte disso?

    Saudades de você

    André Simas.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s